Skip to main content

Qual o melhor ritmo para correr uma Maratona?

Artigos, Maratona 0 Comment

blog_museu_maratonaSe dividirmos a maratona (42.195m) em duas meias maratonas, podemos correr a prova de três maneiras distintas e obter o mesmo resultado ou resultados diferentes, dependendo da capacidade de suportar o stress e do treino utilizado.

Se executarmos a primeira metade da maratona mais rápida do que a segunda metade, chamamos isso de “split positivo”, ou ritmo positivo.

Se executarmos a segunda metade da maratona mais rápida do que a primeira, chamamos de “split negativo”, ou ritmo negativo.

Já se corrermos as duas meias maratonas no mesmo tempo, teremos um “split neutro”, ou ritmo neutro.

O ritmo positivo normalmente é realizado por atletas iniciantes, que realizam um ritmo muito forte no início da prova e consequentemente tem uma diminuição significante na outra metade.

É um erro comum, porque o corredor se sente descansado e forte no início, sendo realmente tentador correr mais rápido do que o ritmo desejado.

O ritmo neutro foi aceito durante muitas décadas, inclusive até hoje por alguns atletas, como a forma correcta de se correr uma maratona.

É necessário desenvolver a capacidade e potência aeróbica, porque quando os 32 quilômetros são atingidos, a dificuldade de manter o ritmo aumenta.

Entretanto, é necessário muita disciplina e treino para alcançar esta técnica. Na hora de fazer o plano de corrida para a sua próxima maratona, pense que a meta de correr em ritmo negativo é muito difícil de alcançar.

Por exemplo: Durante a maratona de Londres, em 2013, apenas 1.151 atletas realizaram o ritmo negativo, sendo que 23.776 correram abaixo de 03h05min. Ou seja, apenas um atleta em 20 conseguiu correr deste modo.

Dificilmente você poderá realizar esta técnica em sua primeira maratona, então procure realizar o ritmo negativo em distâncias mais curtas, como nos 10 quilômetros ou meia maratona, para depois tentar utilizar esta técnica na maratona.

Fonte: www.webrun.com.br – Por Carlos A. Cavalheiro

Related Posts

Bike no ironman. Ajustes finais!

Falta poucas semanas para a sua prova de IRONMAN! Pois é, agora realmente não é...

Dicas para enfrentar o desafio Ironman

Marcelo Borges está envolvido com o triathlon desde 1983, quando o esporte dava os seus...

Três erros que acabam com sua aerodinâmica na bike

O cenário é comum em competições de Triathlon: O atleta investe alguns milhares de dólares...

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Preencha o campo *