Skip to main content

Perguntas & Respostas

Não. As principais vias energéticas nos treinos de musculação são anaeróbias, onde há a produção de energia sem oxigênio. São chamadas de sistema ATP-CP e glicólise.

Se você faz um trabalho intenso de musculação e também aeróbio, o ideal é alternar os dias, fazendo um em cada dia. Agora, você pode fazer um trabalho aeróbio intenso num dia e musculação no outro, seguido de trabalho aeróbio leve ou moderado (dependendo do tipo de treino e do seu objectivo). Dessa forma, você faz os aeróbios de 5 a 6 vezes por semana.

Fazendo as duas actividades no mesmo dia, prefira começar pela musculação, desta forma você rende mais na primeira e fica mais suado e relaxado depois dos aeróbios.

Dores sentidas de 24 a 48 horas após o treino são chamadas de dores tardias. Elas aparecem porque ocorrem microrrupturas nas fibras musculares e no tecido conjuntivo e estes sofrem um processo de inflamação, provocando a dor.

Mas estas desaparecem cerca de 4 dias depois e, com o treino contínuo (na mesma intensidade), o corpo se acostuma e não aparecem mais as dores.

Agora, se você aumentar a intensidade ou passar do seu limite ou mesmo se fizer uma actividade à qual não está acostumada, estas dores podem aparecer.

“No momento em que ingerimos um açúcar de absorção rápida (bolos, chocolates, produtos que contêm açúcares), temos um aumento da concentração de açúcar no sangue, o que, a primeira vista, pode parecer uma vantajosa fonte de energia.

Porém, o corpo, ao sentir este aumento, libera insulina no sangue para promover a diminuição da concentração de glicose e ao fazê-lo, pode-se haver uma diminuição momentânea e brusca para valores abaixo do normal, ocorrendo uma hipoglicemia.

Verdade. Não há necessidade alguma de incluir as bebidas Desportivas antes desse prazo, e, mesmo assim, não é obrigatório após uma hora.

Você já deve ter escutado coisas do tipo “transforme gordura em músculos”, então saiba que isto é impossível! Pode ser aceito apenas como força de expressão. Quem consegue uma hipertrofia muscular e ao mesmo tempo perde gordura, teve estes resultados através de processos independentes.

O tecido adiposo não tem a capacidade de se transformar em músculos. Você irá perder gordura e aumentar a massa muscular que já existe, aumentando o seu volume, não criando outros músculos.

Além de matar a sede e relaxar, a cerveja ajuda na recuperação após a prática desportiva. Especialistas em medicina, fisiologia e nutrição da Universidade de Granada, com o aval do CSIC.

Segundo o documento, os componentes da cerveja ajudam na recuperação do metabolismo hormonal e imunológico depois da prática desportiva de alto rendimento, e também favorece a prevenção de dores musculares, mas lembre-se! Não faça disso um hábito.

Cuidando bem do ténis, ele vai durar mais. Mas quanto tempo? É difícil estimar uma quilo metragem exacta para que seu ténis de corrida perca a eficiência. São muitas as variáveis envolvidas, como biótipo do atleta, tipo de pisada e intensidade dos treinos.

Mas, em geral, um ténis dura pelo menos de 450 km a 800 km para aposentá-lo. “Tudo depende do material do ténis, da constituição física do corredor e do terreno onde ele costuma treinar”.

Um possível ganho de massa muscular pode até aumentar o peso corporal, fazendo com que você tenha dúvidas se engordou (em gordura) ou não. Este aumento de peso não significa que você engordou, pois pode não ter ocorrido o aumento de gordura e sim o aumento de massa muscular.

Apesar de a queima calórica obtida por um treino convencional com pesos normalmente não ser significativa, ela vai se somar ao gasto diário. Com o passar do tempo esse efeito acumulativo poderá ajudar no emagrecimento.

Além disso, esse aumento muscular pode incrementar o metabolismo de repouso do praticante e consequentemente, ajudar na queima total diária. Esse aumento, pelo menos a curto e médio prazo, colabora pouco para aqueles que querem emagrecer. Mas a musculação em longo prazo muda o seu metabolismo e faz com que você queime calorias até em repouso.

Concluindo você que quer emagrecer deve fazer tanto os aeróbicos, quanto a musculação, pois com certeza você não quer emagrecer e ficar fraca e flácida e, para isso, a musculação é essencial.

Muitas pessoas acreditam que, ao realizarem exercícios envolvidos por um colete de borracha ou algo semelhante, irão perder peso (no caso gordura). O fato é que, a redução do peso corporal logo após essa prática é devida a uma perda excessiva de líquidos (suor).

Indivíduos obesos, ao adoptarem essa prática, devem saber que a gordura não permite a dissipação do calor, ocorrendo um aumento perigoso na temperatura corporal. A perda excessiva de água provoca uma queda no volume sanguíneo e perturbações no sistema de refrigeração do corpo, causando danos irreparáveis no organismo (até mesmo a morte).

As propagandas são muitas em relação ao consumo exagerado de proteínas (aminoácidos em forma de suplementos), principalmente entre aqueles que praticam musculação, e também entre os corredores (para acelerar a recuperação).

Na verdade, o aumento da massa muscular está directamente relacionado a quantidade e a qualidade dos exercícios realizados, e não ao consumo extra de proteínas; e a recuperação após o treino, a uma alimentação equilibrada e balanceada, e ao descanso.

O excesso de proteínas irá sob recarregar o fígado e os rins, prejudicando o seu funcionamento. Assim, a ingestão de proteínas extras, caso seja adoptada, deve ser cuidadosamente analisada e acompanhada por um médico especialista.

Mais uma vez, os músculos do abdómen não são diferentes do resto do corpo. Os músculos da região do abdómen são compostos por fibras de contracção lenta, que respondem melhor a pouca carga e mais repetições e fibras de contracção rápida, que respondem melhor a mais carga e menos repetições.

Contudo, o abdómen realmente tem uma porção maior de fibras de contracção lenta do que as de contracção rápida, mas isto não significa que você precise abandonar os exercícios com poucas repetições.

Para maximizar os resultados, o abdómen deve ser treinado usando exercícios com baixas repetições e outros com altas repetições. Obviamente, exercícios com poucas repetições deverão ser usados com o máximo de carga.

“A proteína isolada do soro do leite, como Whey Protein fornece energia quando misturada à maltodextrina. Já o leite contém maior teor de gorduras, e pode ser utilizado conforme a tolerância do atleta, mas a preferência é por sucos ou bebidas energéticas”.

Mais do que pensar na prova, na distância, em ritmos/médias e nos treinos, é muito importante que todo atleta aprenda a trabalhar algo que faz diferença não só na competição, como também para encarar a desgastante rotina do dia-a-dia: o factor psicológico.

Já ouvimos falar que para atletas de ponta ele é fundamental e faz toda a diferença. Porém, não é tão comum escutarmos a importância dessa questão para nós, atletas amadores com outras tantas prioridades no cotidiano. Mas acredite, o factor psicológico ajuda, e muito!