Skip to main content

O organismo em provas longas

Artigos, Maratona 0 Comment

img_4916Alguns atletas, na tentativa de superarem seus próprios limites e seduzidos pelas provas de longas distâncias, encaram provas que os levam ao clímax da superação física: Ultramaratonas, ironman, provas de 24 horas ou aquelas que têm a duração de vários dias.

Provas que podem ser realizadas em diversos lugares: trilhas (onde existem os obstáculos naturais: pedras, troncos, riachos; aumentando ainda mais o grau de dificuldade), asfalto, pista.

O corpo humano, embora não seja projectado para isso, pode suportar tais esforços desde que esteja muito bem preparado, considerando os treinos físicos e alimentação adequados, além do conhecimento sobre o novo desafio e também a adaptabilidade para o esforço.

Todo a parte física acaba se envolvendo numa prova tão extenuante, mas quem sofre mais é o aparelho locomotor. Em função disso, a prática de provas de longa duração pode levar à lesões nos tendões e articulações, em especial os ligamentos do joelho.

Assim, o praticante precisa estar muito bem treinado, principalmente sua capacidade aeróbia. No momento da competição é preciso estar atento ao ritmo do esforço e à hidratação adequada (inclusive após o término da prova).

Mas além de todo esse cuidado com o físico, o componente psicológico é fundamental e precisa ser constantemente trabalhado junto ao atleta durante seus treinos.

Diante de tantos cuidados e precauções, é preciso estar atento aos seguintes pontos:

Cãimbras musculares: Surgimento durante ou após a actividade em função do grande esforço e depleção de sódio.

Desidratação: Caracterizado por sede intensa, boca seca e dificuldade na produção de saliva. Afeta de tal forma a performance do atleta que seu tempo previsto de execução da actividade acaba sendo reduzido.

Hiponatremia: Geralmente causada pela reposição hídrica com baixa concentração ou ausência de sódio. Apesar do processo incômodo de detecção (verificação da temperatura retal / pressão sanguínea / frequência cardíaca), os diagnósticos de hiponatremia são mais comuns em mulheres, corredores de baixa velocidade e pessoas que consomem água, em vez de bebidas que contém sódio durante a competição.

Insolação: Causada por uma falha orgânica em regular a temperatura corporal, é caracterizada por uma mudança drástica na função e actividade mental (perda ou redução do nível de consciência ou estimulação mental). Evento pouco comum em atletas de longas distâncias, considerando que correm a uma velocidade menor, armazenando calor corporal.

Hipoglicemia: Observada em competições com duração superior a 4 horas, em atletas diabéticos e indivíduos com transtornos alimentares. Os sintomas são tremores no corpo, fraquesa, sudorese.

Hipotermia: Ocorrida pela exposição excessiva em ambientes muito frios, comumente diagnosticada em triathlons.

Sabendo desses sintomas, possivelmente a pessoa que vai se submeter a esses tipos de prova, pode se preparar melhor para tentar evitar qualquer manifestação do corpo que possa comprometer sua saúde e performance.

Fonte: www.runnersbrasil.com.br – Por Luiz Fernando Bernardi

Related Posts

Saiba como melhorar sua capacidade respiratória

Após alguns minutos de treino, é comum o corredor iniciante começar a se sentir cansado...

Os cuidados para correr uma Maratona

Em uma Maratona frequência cardíaca (FC) durante a corrida deverá manter-se 78-85% da frequência máxima...

Posição sobre a bike

Especialistas orientam sobre a influência da posição do triatleta no ciclismo e as implicações para...

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Preencha o campo *