Skip to main content

Como ganhar tempo na transição

Artigos, Triatlo 0 Comment

generic swim start_1600A evolução do triatlo tem sido extremamente rápida, isso se deve ao facto de ser um desporto relativamente novo que surgiu para o mundo no início dos anos 80. Assim as mudanças aconteceram com mais rapidez.

O triatlo que agora ostenta o status de desporto Olímpico, desde 2000, está cada vez mais profissional. Com boas premiações e patrocinadores de grande porte envolvidos, a modalidade cresce muito e chama a atenção da mídia tanto quanto outros desportos mais antigos, como atletismo, natação e o ciclismo.

Isso naturalmente gera uma competitividade extremamente acirrada, aumentando assim o investimento na tecnologia de materiais como: bicicletas, roupas, capacetes, óculos e roupa de natação, ténis de corrida, etc.

Os profissionais envolvidos estão cada vez mais gabaritados e os treinos logicamente mais elaborados. Com isso, as provas que tem sido disputadas ao redor do mundo, cada vez mais estão sendo decididas nos últimos metros. Tanto em distâncias Olímpicas (1,5km/40km/10km) quanto em distâncias maiores como Meio Ironman (1,9km/90km/21km) e Ironman (3,8km/180km/42km).

Sendo assim, uma das etapas do triatlo que se tornou de extrema importância foi a transição. Muitas vezes a transição pode decidir uma prova. Os atletas de alto nível, hoje em dia, treinam quatro modalidades: Natação, ciclismo, corrida e transição. Então vamos agora tentar seguir alguns passos, para se fazer uma boa transição (dentro do triatho).

Natação/ciclismo (1ª transição)
 · Ao entrar na área de transição, vá directo para seu lugar no cavalete e posicione sua bike sempre de frente para a saída. Levando-se em conta a melhor maneira de retira-la do cavalete.

· Deixe a bike sempre numa relação de marchas que não seja nem muito pesado, nem muito leve, para que se possa executar as primeiras pedaladas. Para os amadores recomenda-se 53/17 se o início for plano.

· Para os que já possuem um pouco mais de experiência, pode-se deixar a sapatilha já presa no pedal, bem aberta. Em alguns casos um pouco de vaselina no calcanhar pode ajudar a colocação da sapatilha. Aos que ainda não estão com tanta confiança em calçar a sapatilha já em cima da bike recomenda-se calça-las antes de pegar a bike.

· Deixe o capacete também aberto e virado para o lado que você vai chegar na sua bike. Se você tem o costume de pedalar com óculos, deixe-os dentro do capacete e coloque-os sempre antes. Teste pelo menos duas vezes para pegar o jeito da presilha.

· Coloque os ténis de corrida ao lado da sua bike, prestando a atenção em deixa-los do lado em que você sairá para a corrida. Passe também vaselina nos calcanhares dos ténis para que seu pé entre com mais facilidade. Deixe-os com a lingueta já para fora.

· Após ter feito tudo isso, vá em direcção a saída da transição e visualize sua bike, tendo algum ponto como referência, para não perde-la de vista quando sair da água.

· Ao final da natação, nos últimos 150 a 200 metros, aumente seu ritmo de batida de pernas. Isso aumentará o volume do fluxo sanguíneo nos membros inferiores, que durante a natação se concentra nos membros superiores. Não deixando que isso aconteça somente quando você levantar da água. Com certeza você se sentirá mais rápido na corrida para a transição e também no início do ciclismo.

· A partir da última bóia da natação, procure visualizar toda sua transição, desde o momento que você sair da água até quando estiver pedalando. Isso evitará que você tenha surpresa na transição como, por exemplo, perder sua bike, não conseguir colocar o capacete, etc.

· Se você já é um atleta mais avançado use pequenos elásticos para prender a sapatilha no quadro da bike. Isso a manterá estável e paralela ao solo, não deixando assim que ela fique girando enquanto você tenta calça-la.

Ciclismo/corrida (2ª transição)

· Se você tem um ciclismo forte, recomenda-se que no último quilometro, coloque uma relação de marcha um pouco mais leve, para aumentar um pouco sua RPM. Depois mude ligeiramente de posição em cima da bike, para soltar e descomprimir a musculatura das pernas.

· Como na 1a transição, procure visualizar todos seus momentos dentro da área de transição, desde o momento em que você descer da bike até quando sair para a corrida.

· Se você já tem habilidade, retire seus pés da sapatilha (um de cada vez) poucos metros antes de entrar na transição e já desça correndo, com a bike carregada com uma das mãos.

Se você ainda não tem confiança bastante para isso, vá diminuindo sua velocidade até a linha de desmonte, pare, saia da bike e vá carregando-a até seu lugar no cavalete. Mas tenha cuidado para não escorregar.

· Já de longe olhe para o lugar onde você colocará sua bike e não desvie o olhar, para não correr o risco de acabar seguindo outro atleta.

· Coloque a bike no cavalete, tire o capacete e então coloque o ténis de corrida, que já deve estar pronto para ser calçado.

· O número de corrida, para quem usa cinto de elástico, deve ser colocado em baixo do ténis. Apos calçar o ténis, pegue o número e coloque-o já correndo. O mesmo se aplica a bonés e óculos escuros.

No mais e treinar e ir aperfeiçoando a sua transição a cada prova. Bons treinos!

Fonte: www.webrun.com.br

Related Posts

Musculação. Qual o número ideal de repetições?

Se eu lhe perguntasse qual o número ideal de repetições para se obter hipertrofia o...

Quando se deve preparar para a próxima maratona?

Acaba de correr uma maratona e sente-se estupendamente bem. Não obstante, isto NÃO significa que...

Nado crawl: Ganhe eficiência com a cabeça

Ao nadar, temos que prestar a atenção na postura do corpo e na sincronia dos...

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Preencha o campo *