Skip to main content

As 10 lesões mais temidas na corrida

Artigos, Corrida 0 Comment

shin-splintsOs sintomas das lesões na corrida são habitualmente muito evidentes embora tenhamos sempre dúvidas quanto ao tratamento que é possível fazer e se conseguimos nós próprios prevenir ou tratar ou se, pelo contrário, precisamos de ajuda especializada.

Não é fácil diagnosticar as nossas próprias dores e perceber se estas significam que estamos ou não lesionados. Se tens ou tiveste uma lesão podes dar uma vista de olhos no artigo porque vamos dizer-te quais as principais 10 lesões na corrida.

1 – Bursistis

A bursitis é a inflamação da bursa que é uma espécie de almofada com líquido que protege as articulações. Esta inflamação provoca dor precisamente no seu ponto de origem. A anca (quadril) é uma das zonas mais comuns dos corredores em que isto acontece. A causa costuma ser por sobrecarga na zona, falta de flexibilidade ou por impacto ou artrite.

2 – Sobretreino ou fadiga crónica 

Não é uma lesão em si mesma mas pode debilitar-nos muito. Costuma manifestar-se por um aumento de irritação, ter dificuldades em dormir, dificuldades em manter o peso, uma maior frequência cardíaca ou inclusivamente o aparecimento de aftas na boca por causa de um sistema imunitário deficiente. Acontece sobretudo naquelas pessoas que treinam muitos quilómetros e que dificilmente saltam um treino.

3 – Fascite plantar

Acontece devido a uma inflamação prolongada no tempo na fascia plantar. Costuma haver uma fase prévia de sobrecarga plantar que se não for detectada a tempo acaba por transformar-se em fascite.

A fascia é um tecido conectivo que liga o calcâneo (calcanhar) com a base dos dedos. Costuma identificar-se numa primeira fase por uma dor nos calcanhares ao levantar-se da cama de manhã.

Um calçado inadequado pode ser a causa ainda que numa grande percentagem de casos costume tratar-se de um conjunto de factores entre os quais se encontra a falta de cuidado com os pés.

Para prevenir esta lesão devemos fazer com frequência exercícios de mobilidade e fortalecimento dos dedos dos pés e tornozelos, para além de alongar habitualmente tal como qualquer outro músculo das pernas.

4 – Periostite tibial 

É uma dor localizada provocada por uma inflamação do periostio que envolve a tíbia. Esta inflamação pode acontecer por vários motivos.

* Calçado desportivo incorreto: Se não tiverem amortecimento suficiente e não for capaz de proteger do impacto da passada. Ou pode ter outra causa de o corredor ter pronação ou hiper pronação e o calçado não estar preparado para corrigir.

* Sobretreino: Uma periostite prolongada em conjunta com treino excessivo pode originar uma fratura por stress da tíbia.

* Superfícies duras: Com o tempo, se corrermos sempre em cima de terrenos duros como alcatrão (asfalto) podemos aumentar a possibilidade do aparecimento de periostite. É sempre mais aconselhável correr em terra batida.

5 – Tendinite de Aquiles 

Dor no tendão que liga o calcanhar com a zona inferior do gémeo (solhar) provocado por uma inflamação e irritação. A dor aumenta significativamente quando se corre em subidas.

Costuma ser provocado por falta de flexibilidade e excesso de treino; neste último caso o treino provoca sobrecarga nos gémeos aumentando muito a tensão no tendão provocando a dita inflamação.

6 – Lesões do joelho 

É também conhecida como condromalacia rotuliana. Sente-se uma dor mesmo na rótula e no tendão rotuliano. Acontece por causa de um desvio na rótula ou desalinhamento causado por uma descompensação entre a musculatura do quadricípete e a dos isquiotibiais. Este desvio pode causar um desgaste maior da cartilagem.

7 – Síndrome da banda iliotibial 

Localizada na zona externa do joelho. É uma dor que aumenta conforme avança a actividade, especialmente nas descidas. A lesão surge quando acumulamos muita tensão na banda iliotibial que se encontra na zona lateral posterior da coxa e que liga a anca à zona exterior do joelho. Esta tensão, proveniente em muitos casos do glúteo e piramidal, cria fricção na inserção do joelho provocando dor.

8 – Rotura ou micro rotura dos isquiotibiais 

O sintoma é uma dor muito forte na zona posterior da coxa. Às vezes a sensação pode ser semelhante a uma pedrada. Pode acontecer quando treinamos a alta intensidade, velocidade ou treino explosivo.

É também possível que ocorra por sobrecarga muscular na zona e continuar a treinar sem ter recuperado. Aparece frequentemente no início do treino quando o músculo não aqueceu completamente ou quando o aquecimento foi incorreto ou insuficiente.

9 – Bolhas nos pés

É a acumulação de líquido nas camadas superficiais da pele dos nossos pés. São provocadas pela fricção das meias na pele, fricção das próprias sapatilhas que exercem pressão excessiva nalgumas zonas do pé ou por irritação da planta do pé devido a fricção deste com a palmilha da sapatilha por causa de mau apoio. A acumulação de líquido pode por vezes provocar sangue.

10 – Unhas negras dos pés

Quando as unhas escurecem costuma tratar-se de hematomas internos por baixo da unha. A causa pode ser um impacto repetido numerosas vezes dos dedos do pé contra a sola da sapatilha que acontece por se usar um tamanho inferior ao nosso ou por se ter um mau apoio o que provoca um movimento do pé dentro da sapatilha para a frente até chocar com o fundo. Acontece com mais frequência em corridas de longa distância ou corridas em que o percurso tem muitas descidas.

Fonte: www.sportlife.com.pt

Related Posts

GEL-HYPER-TRI-Asics-1200x800

Vídeo – Dicas importantes para uma corrida segura

O professor da Universidade de São Paulo (USP - Brasil) Julio Cerca Serrão, um dos...

114290_Papel-de-Parede-Ciclistas_1920x1200

Posição sobre a bike

Especialistas orientam sobre a influência da posição do triatleta no ciclismo e as implicações para...

detox_article

O que é Detox?

Detox é um dos termos mais em evidência atualmente. Contudo, você sabe o que significa...

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


− dois = 7

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>